Close

Not a member yet? Register now and get started.

lock and key

Sign in to your account.

Account Login

Forgot your password?

Dicas

O QUE É IMPERMEABILIZAÇÃO ?

É uma técnica que consiste na aplicação de produtos específicos com o objetivo de proteger as diversas áreas de um imóvel contra ação de águas que podem ser de chuva, de lavagem, de banhos ou de outras origens.

…impermeabilizar é uma atitude saudável para o imóvel e para quem vive nele.

Água infiltrada nas superfícies e estruturas afeta o concreto, sua armadura (“ferragem”), as alvenarias e os revestimentos. O ambiente fica insalubre (umidade, fungos e mofo), diminuindo a vida útil da edificação, sem falar no desgaste físico e emocional do proprietário ou usuário que sofre com a má qualidade de vida causada pelos problemas existentes no imóvel.

Faça impermeabilização já no projeto da obra.

A exemplo dos projetos de arquitetura, da estrutura de concreto armado, das instalações hidráulica e elétrica, de paisagismo e decoração, entre outros de uma obra comercial, industrial ou residencial, a impermeabilização também deve ter um projeto específico, um projeto que detalhe os produtos e a forma de execução das técnicas de aplicação dos sistemas ideais de impermeabilização para cada obra.

… impermeabilização é algo muito antigo

Desde há muito tempo procuram-se soluções na direção de se prolongar a vida útil dos imóveis, no constante trabalho para resistir às infiltrações. No Brasil as primeiras impermeabilizações utilizavam óleo de baleia na mistura das argamassas para o assentamento de tijolos e revestimentos das paredes das obras que necessitavam desta proteção. No Brasil, a impermeabilização entendida como item da construção que necessitava de normalização , ganhou especial impulso com as obras do Metrô da cidade de São Paulo, que se iniciaram em 1968. A partir das reuniões para se criar as primeiras normas brasileiras de impermeabilização na ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas, por causa das obras do Metrô, este grupo pioneiro, após a publicação da primeira norma brasileira de impermeabilização em 1975, funda neste mesmo ano o IBI – Instituto Brasileiro de Impermeabilização para prosseguir com os trabalhos de normalização e iniciar um processo de divulgação da importância da impermeabilização que prossegue até os dias de hoje.

Exija qualidade no início e economize no longo prazo !

Como em qualquer atividade humana que envolve canalização de recursos financeiros, temos que analisar a chamada “relação custo/benefício”. Em impermeabilização não é diferente. Quando feita de forma correta, com produtos e serviços adequados, por empresas idôneas, os custos de uma impermeabilização atingem, na média, 2% do valor total da obra. Se forem executados apenas depois de serem constatados problemas com infiltrações na edificação já pronta, a impermeabilização ultrapassa em muito este percentual, envolvendo até valores em torno de 10% do custo total da obra.

Resumindo : se você, nosso leitor, nunca sofreu com problemas de infiltração pergunte a quem já os teve… as respostas serão, na maioria dos casos :

“ … foi terrível ! ”
“ … meu amigo, que stress ! ”
“… se você visse a cara de meu vizinho quando soube que teríamos que quebrar todo o piso de mármore de Carrara de seu banheiro ! ”
“… tive que quebrar minha cozinha… e o pior não foi isto… tive que trocar todo o piso e os azulejos, gastei uma fortuna ! ”

Como vemos, as situações descritas acima retratam muito mais do que meros prejuízos financeiros, mas o pior: desgastes, tensões, angústias, ou seja, perda de qualidade de vida. Portanto, no momento de decidir sobre impermeabilização, em sua análise de custo-benefício, avalie sob a ótica das possibilidades relativas da ocorrência de infiltrações, não perdendo de vista que a água, a despeito de seu inestimável valor e importância para nossas vidas, por outro lado, segundo levantamentos realizados junto a setores ligados à construção civil, é também fonte de 85% dos problemas das edificações.

Assista aqui um vídeo divulgado pelo IBI em que fala sobre a importância da impermeabilização.

IMPERMEABILIZAÇÃO… UM ATO DE PRESERVAÇÃO

PATRIMONIAL E DE QUALIDADE DE VIDA !

**********************************************************************

ISOLAMENTO TÉRMICO E IMPERMEÁVEL

Instalação recomendada de DURALFOIL

Instalação recomendada de DURALFOIL

Este esquema é genérico, podem ser necessárias adaptações conforme o tipo de telhado. Conte com o Departamento Técnico para esclarecer os casos que não estão ilustrados aqui.

O DURALFOIL é uma manta de subcobertura isolante térmica e impermeabilizante. (Deve ser usada abaixo das telhas). Além de um excelente conforto térmico o uso de DURALFOIL trará ainda proteção de goteiras para sua cobertura. O Duralfoil é um produto impermeável que quando instalado corretamente protege de goteiras, poluição etc.

 

Instalação recomendada:

A instalação recomendada leva ao melhor aproveitamento das características do DURALFOIL. Mesmo em telhados já construídos quando a intenção é proteger de goteiras deve-se respeitar a sugestão de instalação. Para instalar corretamente, siga o esquema de instalação e dedique especial atenção aos seguintes passos:
1). Nos modelos que não possuem os dois lados de alumínio de que lado devo colocar o produto?
Se o seu telhado atender a todas as características a seguir, deve-se colocar o lado de alumínio virado para baixo (CUIDADO: em outros tipos de instalação esta indicação pode mudar consulte o Departamento Técnico).
a) Telhados de estrutura de madeira e telhas cerâmicas.
b) Telhados em que o produto está sendo aplicado durante a construção do telhado ou com a retirada das telhas e ripas.
b) Verificar se existe um forro ou laje, isto é, que o produto não fique aparente para quem está dentro da construção.
c) Verificar se existe um espaço de ar de no mínimo 2cm entre o produto aplicado e o forro ou a laje.
2). Apoiando o produto sobre os caibros, desenrole as bobinas de Duralfoil na direção contrária ao caimento da água.
3). Comece colocando as faixas do beiral para a cumeeira, e sobreponha as faixas em 10cm.
4). Certifique-se de que a cumeeira e as águas-furtadas também sejam cobertas com o Duralfoil.

Na água furtada:
Exemplo:
5). Coloque os contra-caibros, sarrafos da mesma espessura das ripas sobre o produto na mesma direção
dos caibros. Os contra-caibros recebem essa denominação porque os sarrafos são apoiados acima dos caibros, não por suas dimensões, isto é, os contra-caibros devem ter 1cm ou 2cm de espessura e não 5cm. O uso do contra-caibro além de importante para a boa impermeabilização da cobertura, fixa melhor o Duralfoil o que aumenta a proteção em caso de ventos e tempestades e aumenta o espaçamento entre a telha e o produto promovendo maior circulação de ar.
6) O DURALFOIL deve chegar até o beiral e nunca deve fazer uma bolsa na tabeira, o ideal é que o produto caia dentro da calha (ver detalhe no esquema de instalação).

****************************************************************************************

DICAS DE PINTURA

Ordem correta para pintar um ambiente
——————————————–
Pintar um ambiente na ordem correta economizará tempo e dinheiro. Comece pelo teto, depois vá para as paredes, portas, janelas e, finalmente, pinte o rodapé. Se o acabamento final for feito com papel de parede, toda a pintura deve ser terminada primeiro.

O rolo ideal para cada tipo de pintura
—————————————–
Os rolos são ideais para áreas grandes como paredes ou tetos. A escolha apropriada depende do tipo de tinta que você planeja usar. O rolo de lã pêlo baixo (sintética ou de carneiro) é indicado para tintas PVA e acrílica. Já o rolo de espuma deve ser usado para aplicar esmaltes, tinta óleo e vernizes. Enquanto o rolo de espuma rígida ou borracha é recomendado para dar efeito em texturas.

Que tipo de pincel usar?
—————————
Os pincéis de cerdas escuras são indicados para aplicação de tintas à base de solvente, como os esmaltes, tintas óleo e vernizes. Os de cerdas grisalhas são usados na aplicação de tintas à base de água, como as PVA e acrílica.

Como calcular a quantidade de tinta para pintar um ambiente?
——————————————————————–
“Uma lata de 18l pinta, em média, 200m² por demão. Já o galão de 3,6l pinta, em média, 45m² por demão”.

Para evitar bolhas
——————–
Áreas sujeitas ao contato com água, pintura sobre superfície com presença de pó e ainda repintura sobre tinta muito antiga ou de má qualidade podem provocar bolhas.

Outra situação é o uso de massa corrida muito fraca, de má qualidade, principalmente com aplicação de tinta que não foi devidamente diluída. “Para corrigir, deve ser removida a parte afetada (raspada e lixada). Em seguida, aplicar uma demão de preparador de paredes, diluído em água. Espere a secagem antes de passar a tinta”.

Remover manchas de água
——————————
As paredes recém-pintadas podem ficar marcadas por pingos de água. Elas devem ser lavadas imediatamente, com água em abundância, de maneira uniforme e sem esfregar. “Tais manchas são ocasionadas por materiais solúveis presentes na tinta, trazidos à superfície quando a camada de tinta recém-aplicada é submetida à ação de pingos de água”, explica Valter.

Essas manchas aparecem depois de chuvas muito leves, garoas, sereno e também devido a respingos de água de uma limpeza doméstica. Entretanto, se a chuva for contínua, e não apenas pingos isolados, não haverá manchas.

O que fazer com as sobras?

Tintas
——–
Se você desejar guardar a tinta que sobrou, coloque-a em um lugar coberto, sempre na posição vertical. Tintas que ficam guardadas por muito tempo podem formar uma película resultante da ação do ar. Para evitar isso, tampe bem a lata.

Uma solução é doar o que sobrou para amigos, vizinhos ou instituições de caridade que estejam precisando do material.

Nunca despeje a tinta pelo ralo ou em outros cursos de água.

Ferramentas
—————–
Para aumentar a vida útil dos pincéis e rolos, é essencial limpá-los logo após o uso e depois guardá-los de maneira correta.

Se o material for usado para tintas à base de solvente (esmaltes, vernizes, tinta óleo), limpe o rolo ou pincel com jornal e lave-os com tiner.

Para tintas à base de água, acrílica e PVA, é recomendável lavar os pincéis com água e sabão.

Arrume as cerdas dos pincéis com um pente, umedeça-os com óleo vegetal e guarde-os enrolados em papel impermeável.

******************************************************

DRENAGEM DE JARDINEIRAS E OUTROS

A linha de Geotêxteis Bidim RT foi desenvolvida para oferecer a melhor performance e economia à sua obra.

Com tradição de quem é lider de mercado há mais de 30 anos, a Bidim utilizou as mais modernas técnicas da qualidade para produzir o melhor produto do mercado.

Bidim é o único geotêxtil nãotecido fabricado pelo processo “spunweb”, a partir de filamentos contínuos 100% poliéster, que conferem ao produto a resistência e a durabilidade necessárias para a sua utilização nas mais diversas obras.

DICAS DE PINTURA

Ordem correta para pintar um ambiente
——————————————–
Pintar um ambiente na ordem correta economizará tempo e dinheiro. Comece pelo teto, depois vá para as paredes, portas, janelas e, finalmente, pinte o rodapé. Se o acabamento final for feito com papel de parede, toda a pintura deve ser terminada primeiro.

O rolo ideal para cada tipo de pintura
—————————————–
Os rolos são ideais para áreas grandes como paredes ou tetos. A escolha apropriada depende do tipo de tinta que você planeja usar. O rolo de lã pêlo baixo (sintética ou de carneiro) é indicado para tintas PVA e acrílica. Já o rolo de espuma deve ser usado para aplicar esmaltes, tinta óleo e vernizes. Enquanto o rolo de espuma rígida ou borracha é recomendado para dar efeito em texturas.

Que tipo de pincel usar?
—————————
Os pincéis de cerdas escuras são indicados para aplicação de tintas à base de solvente, como os esmaltes, tintas óleo e vernizes. Os de cerdas grisalhas são usados na aplicação de tintas à base de água, como as PVA e acrílica.

Como calcular a quantidade de tinta para pintar um ambiente?
——————————————————————–
“Uma lata de 18l pinta, em média, 200m² por demão. Já o galão de 3,6l pinta, em média, 45m² por demão”.

Para evitar bolhas
——————–
Áreas sujeitas ao contato com água, pintura sobre superfície com presença de pó e ainda repintura sobre tinta muito antiga ou de má qualidade podem provocar bolhas.

Outra situação é o uso de massa corrida muito fraca, de má qualidade, principalmente com aplicação de tinta que não foi devidamente diluída. “Para corrigir, deve ser removida a parte afetada (raspada e lixada). Em seguida, aplicar uma demão de preparador de paredes, diluído em água. Espere a secagem antes de passar a tinta”.

Remover manchas de água
——————————
As paredes recém-pintadas podem ficar marcadas por pingos de água. Elas devem ser lavadas imediatamente, com água em abundância, de maneira uniforme e sem esfregar. “Tais manchas são ocasionadas por materiais solúveis presentes na tinta, trazidos à superfície quando a camada de tinta recém-aplicada é submetida à ação de pingos de água”, explica Valter.

Essas manchas aparecem depois de chuvas muito leves, garoas, sereno e também devido a respingos de água de uma limpeza doméstica. Entretanto, se a chuva for contínua, e não apenas pingos isolados, não haverá manchas.

O que fazer com as sobras?

Tintas
——– 

Se você desejar guardar a tinta que sobrou, coloque-a em um lugar coberto, sempre na posição vertical. Tintas que ficam guardadas por muito tempo podem formar uma película resultante da ação do ar. Para evitar isso, tampe bem a lata.

Uma solução é doar o que sobrou para amigos, vizinhos ou instituições de caridade que estejam precisando do material.

Nunca despeje a tinta pelo ralo ou em outros cursos de água.

Ferramentas
—————– 

Para aumentar a vida útil dos pincéis e rolos, é essencial limpá-los logo após o uso e depois guardá-los de maneira correta.

Se o material for usado para tintas à base de solvente (esmaltes, vernizes, tinta óleo), limpe o rolo ou pincel com jornal e lave-os com tiner.

Para tintas à base de água, acrílica e PVA, é recomendável lavar os pincéis com água e sabão.

Arrume as cerdas dos pincéis com um pente, umedeça-os com óleo vegetal e guarde-os enrolados em papel impermeável.

******************************************************

               DRENAGEM DE JARDINEIRAS E OUTROS

 

 

A linha de Geotêxteis Bidim RT foi desenvolvida para oferecer a melhor performance e economia à sua obra.

Com tradição de quem é lider de mercado há mais de 30 anos, a Bidim utilizou as mais modernas técnicas da qualidade para produzir o melhor produto do mercado.

Bidim é o único geotêxtil nãotecido fabricado pelo processo “spunweb”, a partir de filamentos contínuos 100% poliéster, que conferem ao produto a resistência e a durabilidade necessárias para a sua utilização nas mais diversas obras.